Barry Keoghan, astro de Saltburn, quase perdeu braço antes de filme! Conheça essa história bizarra

Hollywood é repleta de histórias de superação, mas o que Barry Keoghan enfrentou antes de sua performance em Os Banshees de Inisherin e Saltburn é algo além do comum.

Conhecido por sua trajetória impressionante desde 2017 com atuações notáveis em Dunkirk e O Sacrifício do Cervo Sagrado, Keoghan nos surpreendeu novamente com sua capacidade de superar adversidades, desta vez de uma maneira literalmente assustadora! Confira mais detalhes abaixo.

Barry Keoghan, astro de Saltburn, quase perdeu braço antes de filme! Conheça essa história bizarra. Crédito: Reprodução.
Barry Keoghan, astro de Saltburn, quase perdeu braço antes de filme! Conheça essa história bizarra. Crédito: Reprodução.

Barry Keoghan: Uma estrela em ascensão

Barry Keoghan não é apenas mais um ator em Hollywood. Sua capacidade de mergulhar em personagens complexos e entregar performances que capturam a atenção do público e da crítica o coloca em uma categoria especial.

Seu talento foi destacado tanto em aparições breves, como seu enigmático Coringa em Batman, quanto em papéis mais densos, como em Saltburn e sua indicação ao Oscar por Os Banshees de Inisherin.

O drama assustador de Barry Keoghan

Porém, o caminho para o sucesso de Keoghan teve um obstáculo assustador. Durante uma entrevista para a GQ, um detalhe chamou a atenção: cicatrizes em seu braço, que mais pareciam uma tatuagem de cobra.

A realidade, porém, era muito mais grave. Keoghan revelou ter sido diagnosticado com fasciite necrosante, uma doença rara e perigosa, também conhecida como a doença da bactéria comedora de carne.

Esta condição pode levar à sepse e falência de órgãos, sendo fatal em 20% dos casos e, em algumas situações, exige amputação.

Astro de Saltburn quase perdeu o braço!

O mais impressionante é a reação de Keoghan a essa ameaça à sua saúde e carreira. Quando questionado sobre o risco de morte, ele relata ter perguntado aos médicos se iria morrer, e a incerteza deles não o deteve.

Martin McDonagh, diretor de Os Banshees de Inisherin, lembra de visitá-lo no hospital, preocupado não só com a saúde do ator, mas também com a continuidade do filme. Keoghan, com seu braço inchado e possivelmente sob efeito de medicamentos, simplesmente disse:

“Vou ficar bem. Te vejo na terça-feira”. Uma atitude de quem, mesmo diante do abismo, escolhe olhar para o horizonte.

Leia também:

A performance inabalável de Barry Keoghan

Em “The Banshees of Inisherin”, ambientado numa remota ilha irlandesa em 1923, Keoghan dá vida a Dominic, um jovem perturbado que nutre um amor não correspondido por Siobhán, interpretada por Kerry Condon.

Seu desempenho, realizado sob circunstâncias extraordinárias, é um testemunho de sua dedicação e resiliência. Nem um sinal de desconforto transparece em sua atuação, um feito notável considerando o que ele enfrentava nos bastidores.

Barry Keoghan em Os Banshees de Inisherin.

O espírito inquebrável de Barry Keoghan

O que mais chama a atenção na história de Keoghan é sua atitude diante de uma situação tão assustadora. Ele demonstrou uma serenidade quase inacreditável, uma característica que, sem dúvida, contribui para seu sucesso como ator.

A confiança de McDonagh em Keoghan, mesmo diante da incerteza, era tamanha que ele até brincou sobre uma futura indicação ao Oscar no hospital.

Esse episódio é um lembrete de que, por trás das câmeras, os atores enfrentam desafios reais, alguns até mesmo ameaçadores à vida, mas continuam a entregar performances que nos emocionam e inspiram.

Astro tem um futuro brilhante pela frente

A jornada de Keoghan, desde suas origens humildes até os holofotes de Hollywood, é uma história de perseverança e talento indomável.

Seu trabalho em filmes como Saltburn e Os Banshees de Inisherin não é apenas um testemunho de seu talento, mas também de sua incrível capacidade de superação. A resiliência e determinação que ele demonstrou ao enfrentar a fasciite necrosante é um exemplo do espírito indomável que define os grandes artistas.

você pode gostar também