Gigante Espacial: O Asteroide Que Passou Por Nós na Sexta-Feira

Na manhã de uma sexta-feira comum, algo extraordinário aconteceu: um asteroide do tamanho de um estádio de futebol passou “perto” da Terra, uma visita rara e intrigante. Estamos falando do Asteroide 2008 OS7, uma massa colossal que viaja pelo espaço a impressionantes 17 mil quilômetros por hora.

Foto: Nasa

O Asteroide 2008 OS7: Uma Jornada Fascinante pelo Espaço

O 2008 OS7 não é um visitante comum. Com uma órbita ao redor do Sol a cada 962 dias, seu próximo retorno está previsto para 2026, embora a próxima aproximação mais íntima só ocorra em 2037. A uma distância de cerca de 16 milhões de quilômetros, esse gigante espacial segue um caminho que desperta tanto fascínio quanto preocupação.

O monitoramento desses corpos celestes é crucial. A NASA categoriza como “potencialmente perigosos” aqueles objetos que se aproximam a menos de 7 milhões de quilômetros da Terra e medem mais de 150 metros. Com mais de 1,3 milhão de asteroides no Sistema Solar, o 2008 OS7 é um exemplo vívido da necessidade de vigilância constante.

Leia mais:

Foto: NASA

A Ameaça Invisível: Riscos Subestimados de Impactos de Asteroides

Um estudo recente na Conferência de Ciência Lunar e Planetária de 2023, nos EUA, revelou que talvez estejamos subestimando os riscos desses gigantes espaciais. Ao analisar crateras antigas e suas mudanças ao longo do tempo, os pesquisadores concluíram que os impactos de asteroides podem ser muito mais frequentes do que se pensava.

A Terra carrega cicatrizes de eventos passados, como a Cratera de Chicxulub, causada por um asteroide que resultou na extinção dos dinossauros. Essas marcas nos oferecem pistas valiosas sobre os riscos de novos impactos.

A NASA e cientistas ao redor do mundo continuam observando os céus, buscando entender melhor esses viajantes espaciais. Com tecnologias avançadas e estudos contínuos, a esperança é prever e, quem sabe, evitar futuros impactos catastróficos.

Foto: NASA
você pode gostar também