Elon Musk contra Disney? Empresário financia processo de Gina Carano contra o Streaming

Magnata da tecnologia oferece apoio a atriz que briga por liberdade de expressão. Saiba o futuro de Cara Dune, de O Mandaloriano.

Em um mundo onde as fronteiras entre a expressão pessoal e a responsabilidade corporativa se entrelaçam cada vez mais, a saga envolvendo Gina Carano, a Disney e Elon Musk surge como um fascinante microcosmo dessas tensões. A atriz, conhecida por seus papéis marcantes e opiniões francas, encontrou-se no olho de um furacão midiático após suas postagens em redes sociais levarem a implicações profundas. Este caso não é apenas sobre uma disputa entre uma personalidade pública e uma gigante do entretenimento. Acaba sendo um reflexo ampliado das lutas pela liberdade de expressão na era digital, onde cada tweet pode ser um gatilho para debates nacionais.

A intervenção de Elon Musk, um empresário que transcendeu seu status como magnata da tecnologia para se tornar uma figura central em discussões globais sobre o futuro da comunicação na internet, adiciona outra camada de complexidade a esta trama. Ao financiar o processo de Carano contra a Disney, Musk não apenas destaca o caso, mas também o eleva a um símbolo contra a coerção corporativa e a favor da liberdade plena de expressão.

Elon Musk contra Disney? Empresário financia processo de Gina Carano contra o Streaming
Elon Musk entra em mais uma batalha sobre liberdade de expressão. (Créditos: reprodução).

A Batalha Começa

Gina Carano, atriz conhecida por suas atuações em “Tensão em Montana” e “My Son Hunter”, encontrou-se em meio a uma tempestade midiática após expressar suas opiniões em diversas plataformas de mídia social. Essas opiniões, que ela compartilhou livremente, não foram bem recebidas por todos, culminando na sua não reintegração como Cara Dune em “O Mandaloriano” pela Disney. Este ato marcou o início de uma controvérsia que transcenderia o entretenimento para tocar em questões fundamentais de liberdade de expressão.

Musk entra na briga

No coração desta disputa, Elon Musk emergiu como um inesperado protagonista. Após adquirir o Twitter e renomeá-lo para “X”, Musk cumpriu sua promessa de apoiar aqueles que se sentem discriminados por suas opiniões, escolhendo financiar os esforços legais de Carano. “Como um sinal do compromisso da X Corp com a liberdade de expressão, estamos orgulhosos de fornecer apoio financeiro para o processo de Gina Carano, capacitando-a a buscar a reivindicação de seus direitos de liberdade de expressão na X e a capacidade de trabalhar sem intimidação, assédio ou discriminação”, afirmou Joe Benarroch, chefe de operações comerciais da X Corp, num comunicado que reforça a posição da empresa na vanguarda da defesa da liberdade de expressão.

O motivo da controvérsia

O processo levantado por Carano no tribunal federal da Califórnia contra a gigante Disney e a Lucasfilm alega uma cultura de conformidade forçada, onde apenas uma “ortodoxia de pensamento, discurso ou ação era aceitável”. A atriz argumenta que foi tratada de maneira desigual em comparação com colegas que também compartilharam suas visões políticas nas redes sociais, mas que, ao contrário dela, não enfrentaram consequências tão severas.

Elon Musk contra Disney? Empresário financia processo de Gina Carano contra o Streaming
Após posts polêmicos da atriz, a personagem Cara Dune foi descontinuada da série. (Créditos: reprodução).

A polêmica nas redes sociais

Os comentários que desencadearam essa batalha legal variaram desde críticas a obrigatoriedade de máscaras promovida pelo governo durante a pandemia de COVID-19 até sugestões de fraude nas eleições presidenciais de 2020. Uma publicação comparando a perseguição dos judeus pelos nazistas com a situação política atual dos republicanos foi a gota d’água para muitos, culminando na ação da Disney contra Carano. Em defesa, Carano expressou: “Alguns de nós foram injustamente apontados, assediados, perseguidos e tiveram nossos meios de subsistência retirados porque ousamos encorajar conversas, fizemos perguntas e nos recusamos a acompanhar a multidão.”

O futuro de Cara Dune

No momento de sua saída, a Lucasfilm havia anunciado “Star Wars: Rangers of the New Republic”, uma série que supostamente centralizaria Cara Dune. Contudo, com a polêmica que se seguiu, Carano não foi demitida formalmente. Em vez disso, a Disney e a Lucasfilm optaram por não renovar seu contrato, eliminando a personagem de “O Mandaloriano”.

Pedido de indenização

Gina Carano agora busca não apenas a recontratação pela Disney e pela Lucasfilm mas também uma compensação de US$ 75 mil, além de indenizações punitivas. Segundo a atriz a ação não é apenas uma questão de compensação financeira, mas um símbolo maior da luta pela liberdade de expressão e pelo direito de se expressar sem medo de represálias.

você pode gostar também